Arquivo da Categoria: Projetos concluídos

Percursos de desenvolvimento da profissionalidade docente na Educação de Infância

Investigador Responsável: Sara Araújo

Outros investigadores do inED: Fernando Diogo

Membros do projeto: Ana Maria Pereira Antunes (Universidade da Madeira)

O projeto foi concluído formalmente em dezembro de 2016. Ao longo do ano de 2016, foram desenvolvidas as seguintes ações:

– atualização da base de dados em SPSS e realização de nova fase de tratamento de dados quantitativos;

– atualização da base de dados de narrativas reflexivas e realização da última fase de análise de conteúdo;

– apresentação de resultados num congresso;

– redação de artigos e submissão de um artigo.

Apesar de formalmente concluído, as atividades de disseminação do projeto e dos seus resultados prosseguirão em 2017, através da participação em encontros científicos e redação de artigos.

Literacia em Saúde: um desafio na e para a Terceira Idade (linha B)

Investigadora Responsável: Helena Sofia Veiga (ESE)

Investigadora Colaboradora: Carla Serrão

Investigador Colaborador: António Marques (ESTSP)

Resumo do Projeto:

No âmbito do Projeto Literacia em Saúde: um desafio na e para a terceira idade, financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian, a ESEP e a ESTSP levaram a cabo um estudo, de cariz qualititativo, com o intuito de: avaliar as representações, perceções e práticas profissionais e organizacionais potenciadoras e inibidoras da literacia em saúde; identificar boas práticas no âmbito da intervenção psico-sócio sanitária ao nível da literacia em saúde junto da população idosa; desenvolver estratégias de potencialização da literacia em saúde; capacitar os profissionais na melhoria da prestação de cuidados de saúde à população idosa.

Constituíram-se três grupos focais com profissionais (N= 26) da área da saúde e de intervenção psicossocial, tendo-se utilizado a análise de conteúdo como método de análise dos dados.

Os resultados evidenciam que os profissionais: reconhecem um conjunto de determinantes que favorecem/prejudicam o desenvolvimento da literacia em saúde; têm a perceção de que, na geração atual de pessoas idosas, predomina a baixa literacia em saúde; reconhecem a pertinência e intencionalidade das ações desenvolvidas nas organizações com vista a aumentar o acesso das pessoas idosas a informações sobre saúde e a promover a sua autonomia na tomada de decisões e na resolução de problemas associados ao seu estado de saúde/doença; identificam um conjunto de desafios e de recomendações no âmbito da promoção da saúde.

O papel da educação, a importância de promover o modelo deliberativo e a humanização da saúde são os aspetos mais evidenciados pelos profissionais participantes neste estudo, corroborando os resultados obtidos em vários estudos internacionais.

SIMSENSE – Simulações, sensores e sentidos no ensino e na aprendizagem de ciências

Investigador Responsável: Joaquim Bernardino Lopes

Investigador Responsável na ESE:  Alexandre Pinto

Este projeto, de acordo com o que estava previamente definido, ficou encerrado em junho de 2016.

Considera-se que cumpriu integralmente os objetivos traçados. Alicerçou um trabalho que conduziu a uma proposta de projeto de investigação apresentada à FCT, no último concurso. Embora bem classificada esta não obteve financiamento. Além deste primeiro grande objetivo, motivou um trabalho colaborativo em torno da utilização de sensores e simuladores no ensino das ciências com influência em práticas de formação na nossa instituição e em práticas de sala de aula de muitos professores do ensino básico.

Oficina Didática de Ciências Humanas (linha A)

Investigadora Responsável: Cristina Maia

Investigadores no Projeto: Carla Ribeiro, Amândio Barros, Fernando Lima, Rui Teles, Augusto Lemos, Ana Moreira, Diana Cardoso, Raquel Azevedo, Susana Barros, Ricardo Sérgio

Resumo do projeto:

A Oficina Didática de Ciências Humanas, que se centra em especial nas áreas científicas da História e Geografia, desenvolve um trabalho que procura fortalecer intercâmbios com a comunidade escolar do Ensino Básico para estas áreas disciplinares, procurando desenvolver um projeto de investigação em torno de uma Comunidade Virtual de Práticas.

Esta Oficina constituiu-se como um projeto de investigação-ação, dirigido a todo o universo da Educação Básica. Decorrente da análise/diagnóstico do panorama educativo/escolar atual, o projeto insere-se no âmbito da Educação para as Ciências Humanas, aliando as dimensões histórica, geográfica, antropológica e etnográfica. A complexidade destas componentes e a perceção das problemáticas por elas levantadas suscitam tarefas de otimização das práticas pedagógicas, associando à transmissão de conhecimento (saber) o desenvolvimento de capacidades e procedimentos (saber fazer) e de atitudes e valores (saber ser/saber estar).

Desta forma, a equipa de investigadores apropriou-se do conceito de Comunidade Virtual de Prática como estratégia, criando uma plataforma colaborativa – o ClioESE – que se assumiu como um instrumento destinado à criação de redes de interação que permitissem a partilha de experiências, um diálogo aprofundado entre profissionais educativos e a promoção de uma praxis socio-construtivista no domínio das Ciências Humanas.

Construções e Desconstruções Identitárias em contexto escolar: Desempenho escolar de socialização de filhos e filhas de pais estrangeiros no 1.º ciclo do ensino básico português (linha A)

Investigador Responsável: Éric Many

Investigadora Colaboradora: Lucie Oliveira

Resumo do Projeto:

A investigação realizada visou explorar o impacto das contendas identitárias no desempenho escolar e nas relações sociais entre crianças de origem estrangeira e outros atores do Ensino Básico português.Pretendeu-se através deste projeto avaliar a forma como as questões das identidades nacionais entram em jogo nos processos de socialização e no aproveitamento escolar de jovens frequentando o 1º ciclo de uma escola pública portuense (EB1/JI da Fontinha).O projeto consistiu numa intervenção semanal numa turma do 4º ano da Escola da Fontinha do Agrupamento Aurélia de Sousa. Desenvolveu-se com os discentes um trabalho de projeto ligado à diversidade recorrendo à atividades de leitura, de escrita e de desenho.Ao longo do ano escolar foi realizada a edição de um livro (Ver anexo) na base dos trabalhos gráficos e de escrita recolhidos.Paralelamente, para além das notas de campo, foram realizadas entrevistas semi-diretivas à alunos/as de origem estrangeira e a professora e diretora da escola para a elaboração de um artigo.

 andorinhaPDF

cartaz_projeto

Aprendizagens algébricas em contexto interdisciplinar no ensino básico

Investigadora Responsável: Dárida Maria Fernandes

Investigador Principal: Dárida Maria Fernandes

Este projeto passará a ser designado, genericamente, por ÁLGEBRA EM CONTEXTO, que ainda se desenvolverá, pelo menos, até 2020. A importância do tema reside na dificuldade que as crianças têm em desenvolver o pensamento algébrico, de descobrir e compreender conceitos e processos operatórios da Álgebra, como domínio autónomo do 2.º Ciclo do Ensino Básico, que implica o desenvolvimento do raciocínio dedutivo e indutivo. Assim, justifica-se a continuidade deste projeto de investigação pela pertinência pedagógica do tema e pela relevância concetual, alargando-se o público de intervenção e novos contextos de aprendizagem. Este trabalho colaborativo alicerça-se no diálogo contínuo com outras áreas, respeitando linguagens e vocabulários próprios de atuação. Para que estas práticas interdisciplinares aconteçam, na planificação, intervenção e reflexão pós-ação é preciso tempo para observar, pensar, agir e construir novo conhecimento.